«Cobrar», uma acepção

E outro perdido

 

      «Pelo contrário, os actos da caçada vão todos informados pelo propósito e fim de ter a peça, de a “cobrar”. Se o caçador desportivo mata a rês, não é para a matar, não é um assassino; mas a morte do animal é a forma mais natural de o ter e cobrá-lo» (Sobre a Caça e os Touros, José Ortega y Gasset. Tradução de José Bento. Lisboa: Edições Cotovia, 2004, 2.ª ed., p. 39).

    Cobrar também no original: «obtener o recoger una pieza de caza abatida». Cobrar a caça, isto é, ir buscá-la. Também é acepção nossa, mas, infelizmente, não a vejo dicionarizada.

 

[Texto 4133]

Helder Guégués às 06:31 | favorito
Etiquetas: