«Coigual»... e «coeterno»

Agora definitivamente

 

      A troca de impressões, ontem, numa caixa de comentários, com o leitor J. C. serviu para estabelecer o que estava mal: se o Dicionário da Língua Portuguesa da Porto Editora regista coigual e co-eterno, algum tinha de estar incorrecto. É o segundo, chegamos a sabê-lo depois de indagar qual a etimologia de ambos. (Há-de também ter contribuído para o erro que o verbete de *co-eterno não apresente — porquê? — a etimologia do vocábulo.) Provêm ambos do latim e aqui, é claro, não têm hífen. Logo, é coigual e coeterno. Afinal, há sempre alguma coisa que está mal.

 

[Texto 10 079]

Helder Guégués às 07:34 | comentar | favorito | partilhar