Como se escreve e pensa por aí

Mais diligência

 

      «As cargas mais leves são transportadas em alforges colocados sobre burros, caso raro no monte. O meio de transporte mais importante é o carro de vara, com esta ligada à canga metálica que assenta nos mulins» (Memórias de Um Desertor, Sérgio Palma Brito. Lisboa: Edições Colibri, 2020, p. 34).

      Em «mulins», remete para uma nota de rodapé de quatro linhas em que se lamenta que o termo não esteja no Dicionário da Academia. Num livro publicado em 2020, é esta a referência do autor, o Dicionário da Academia. Se o livro tivesse revisão, eliminariam a nota, pois a ortografia consagrada é molim — que está em todos os dicionários. Mas abundam nele erros crassos e gralhas, o que é pena, já que não lhe falta interesse. Em alguns trechos, é quase certo que nem sequer foi relido pelo autor, quanto mais revisto. Mas lá figura o nome do editor: Fernando Mão de Ferro.

 

[Texto 13 931]

Helder Guégués às 10:30 | favorito