Como se escreve nos jornais

Não se recomenda

 

      «E, desde 2013, anda também longe de Santa Marta: tem andado com a casa às costas, a jogar em estádios emprestados, devido ao encerramento do velhinho Estádio Eduardo Santos, devido à falta de condições de segurança» («Um troféu, uma maldição e uma estátua cabeluda», Tiago Pimentel, Público, 17.12.2016, p. 44).

   Esqueceu-se de reler, Tiago Pimentel. Um «devido» já seria indevido, quanto mais dois. Isto na mesma frase. Doravante, vai ver que consegue viver sem nenhum. Tente. Liberte-se!

 

[Texto 7331]

Helder Guégués às 10:30 | comentar | favorito
Etiquetas: ,