Como se escreve nos jornais

Conhecimento incerto

 

      «A solução está na ponta dos dedos. É milimétrica, do tamanho e do aspeto de uma pérola. O In Eye, dispositivo que está a ser desenvolvido no departamento de Engenharia Química da Universidade de Coimbra, promete substituir a aplicação diária de gotas para olhos, por exemplo, em doentes com glaucoma ou em recuperação de cirurgias às cataratas: em vez disso, bastará colocar o pequeno inserto junto ao olho, na pálpebra inferior, para dosear e distribuir o medicamento pelo organismo, por um longo período de tempo» («In eye, a pérola que substitui as gotas para os olhos», Rui Marques Simões, Diário de Notícias, 23.08.2017, p. 12).

      Nunca antes vi este uso do adjectivo (?) «inserto». Para mim, é mais do que incerto, é completamente duvidoso. Terá o jornalista ouvido bem? Sim, porque só pode estar a reproduzir o que ouviu, e, como tantas vezes sucede, ouvem mal.

 

[Texto 8118]

Helder Guégués às 09:28 | comentar | favorito
Etiquetas: ,