Como se escreve nos jornais

Para a próxima

 

      «O investigador português José Furtado, de 37 anos, desenvolveu um sistema de monitoria, prevenção e combate aos incêndios florestais, denominado “Rede IoT para Alarmística de Incêndios Florestais”, que alcançou resultados muito promissores em testes coordenados pelo Laboratório de Estudos sobre Incêndios Florestais da Universidade de Coimbra, coordenado pelo professor Domingos Xavier Viegas. [...] Por intermédio das placas de rede wi-fi, os módulos comunicam entre si e fazem os dados observados chegar a uma central de monitoria» («Jovem investigador português quer travar o drama dos incêndios», Vanessa Fidalgo, «Domingo»/Correio da Manhã, 7.10.2018, p. 30).

      «Monitoria», «monitoria». É, portanto, convicção. Vanessa Fidalgo quis competir com a «alarmística», mas saiu-se mal: monitoria é o cargo ou funções de monitor. Fica para a próxima.

 

[Texto 10 115]

Helder Guégués às 18:47 | favorito
Etiquetas: ,