Como se escreve por aí

Valha-nos Deus

 

      «O dados revelados pelo Ministério do Ambiente ao Jornal de Notícias e ao Público não permitem perceber porque motivo não foi respeitado o decreto-lei de 1982. No momento em que foi publicado, já as duas pedreiras laboravam há anos, apenas com uma declaração que fazia prova da titularidade dos terrenos — na altura, a única condição imposta. [...] Há outra dúvida motivada por estes dados do Ministério do Ambiente: se o decreto-lei remonta a 1982, porque motivo as pedreiras só foram licenciadas em 1989, sete anos depois? [...] O último alerta deu-se em 2014, quando a Câmara de Borba, empresários do setor pedreiro e a Direção-Geral de Energia e Geologia se sentaram à mesma mesa para discutir o eventual encerramento da EN 255» («Pedreiras de Borba não cumpriam margens de segurança impostas pela lei», Miguel Videira, TSF, 21.11.2018, 8h50).

      Só é pena não se fazerem também inspecções aos conhecimentos de gramática e léxico dos jornalistas, não é assim, Miguel Videira? Muitos teriam de cessar actividade.

[Texto 10 325]

Helder Guégués às 10:44 | favorito
Etiquetas: ,