Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Linguagista

Como se escreve por aí

Sem barco, mete água

 

      Na praia de Armação de Pêra, um homem de 71 anos entrou demasiado no mar e acabou por sentir dificuldades em regressar ao areal. Vai daí: «No final, tudo acabou em bem, com o homem a não necessitar de receber assistência médica, mas a agradecer o empenho dos elementos da AquaForm, depois de um valente susto. A atuação de Duarte e Bruna [nadadores-salvadores] foi, aliás, saudada com uma enorme salva de palmas por parte dos presentes na praia. Já o náufrago fez questão de tirar uma foto com aqueles dois jovens, que, muito provavelmente, lhe terão salvado a vida» («Resgate de homem de 71 anos termina com salva de palmas na praia», Paulo Lourenço, Jornal de Notícias, 14.08.2020, 13h33).

      Onde está o barco, Paulo Lourenço? É o habitual: nunca tinha pensado nisto. Só há náufragos se estiver envolvido um barco afundado. (E o resto? Com o Acordo Ortográfico de 1990, Paulo Lourenço, passou-se a escrever Armação de Pera. Reveja tudo. Estude.)

 

[Texto 13 870]