Como se escreve por aí

Por sorte, advogado

 

      «É legítimo pensar que Rui Rio ainda estivesse empolgado pelos resultados nas recentes sondagens, as quais davam 7% na intenção de voto ao Chega, em igualdade com o Bloco de Esquerda (e uns anímicos e confrangedores 26% ao PSD), ou que não seja justo colocar no mesmo saco quem nega e quem nunca viu aquilo que dois em cada três portugueses admitem e reconhecem» («A grande farsa», Nuno Pimentel Gomes, militante social-democrata e advogado, Público, 21.08.2020, p. 8).

      Por sorte, é advogado e não jornalista. Confundir «anímico» com «anémico» é absolutamente lamentável. A propósito, no dicionário da Porto Editora (e noutros), em anémico não estão registados os sentidos figurados, e já sabemos quão necessitados de amparo estão os falantes. É como eu digo, um trabalho infindável.

 

[Texto 13 875]

Helder Guégués às 09:00 | comentar | favorito