«Contra naturam»

Não esperava

 

   «A administração [da RTP] está a “corrigir as políticas anteriores de externalização da produção”. “É contra naturam, tendo em conta a tradição, os meios técnicos e humanos e as valências da RTP, externalizar a produção”, sobretudo de fluxo, como são os programas da manhã e da tarde, defendeu ainda [Gonçalo Reis, presidente da RTP], demonstrando uma posição oposta à filosofia que o ministro Miguel Poiares Maduro defendeu para o serviço público» («RTP quer deixar de pagar pelos comentários de políticos e não os quer sozinhos em antena», Maria Lopes, Público, 18.06.2015, p. 9).

      É inacreditável: está certo! Não há aqui latinada, não senhor. Contra, como outras trinta preposições latinas, rege acusativo, e por isso contra naturam está certo. Se o quisermos aportuguesado, é contranatura. Não me surpreendia que, em cada 10 000 vezes que aparece, só uma vez estivesse certo.

 

[Texto 5984]

Helder Guégués às 10:39 | comentar | favorito | partilhar
Etiquetas: ,