David Hockney, prestigiável

Venham de lá todas

 

      Isto é o fim do mundo: o Nobel da Literatura para um cantor (mas que se está a borrifar e não atende o telefone nem sequer à Academia Sueca), a Feira de Frankfurt dedicada a um pintor... Meu Deus! Ainda havemos de ver o Nobel da Química outorgado a um chefe da cozinha molecular. Mas quanto a Frankfurt, David Hockney é um artista multifacetado e tem uma obra apaixonante, merece, é prestigiável. (Posso usar «prestigiável»? Defendo que todas as palavras desta natureza, ainda que de uso mais coloquial e pontual, deviam integrar os dicionários: candidatável, deputável, ministeriável, nobelizável, papável, prefeitável, presidenciável, reitorável, senatoriável...)

 

[Texto 7173]

Helder Guégués às 07:10 | favorito