«De alto a baixo»

Também não salva a pátria

 

 

      «Dois candidatos andam por aí melancolicamente a explicar ao “povo socialista” o que fariam com o poder, no largo
 do Rato ou em Portugal inteiro. A parte mais curiosa deste peculiar exercício é a concordância final de Seguro e Costa para nos tirar da miséria em que vivemos. Tanto um como outro acham que o segredo da felicidade está no “crescimento” da economia. Se a economia “crescesse”, eles mudariam a Pátria de alto abaixo» («O socialismo em 2014», Vasco Pulido Valente, Público, 13.09.2014, p. 56).

   Anda o homem a querer endireitar os outros... A locução adverbial escreve-se de alto a baixo. Claro que os revisores do Público não devem ter autorização para mexer sequer numa vírgula.

 

[Texto 5038] 

Helder Guégués às 09:20 | favorito
Etiquetas: ,