De Optimus a Pessimus

Os reis vão nus

 

 

    «“Na nossa identidade e logótipo, o ó é desenhado a outra escala e é aberto, sugerindo essa leitura, não vimos necessidade de usar a convenção habitual, porque acreditamos que a marca tem por si só a força necessária para ser lida e reconhecida como se pretende”, diz Hugo Figueiredo, diretor de marca e comunicação da NOS» («Zon e Optimus entre NOS», Catarina Nunes, «Economia»/Expresso, 16.05.2014, p. 21).

    Aberto como quê, como um u, é isso? Conseguiram. Claro que parolos somos nós por observarmos as convenções. E é claro que o nome da décima quarta letra é o e não ó. (O Dicionário da Língua Portuguesa da Porto Editora assegura-nos que é a décima quinta letra do alfabeto... Mas é preciso pensar em todos os pormenores.)

 

[Texto 4589]

Helder Guégués às 16:08 | comentar | favorito