«Defesa nacional/segurança nacional»

Para a História

 

      «Pode parecer um detalhe, mas o facto do [sic] general se ter inspirado no sistema francês levou-o a adotar o termo Defesa Nacional, partindo de “défense nationale”, mas, como [o] próprio reconhece, a “expressão tem um sentido mais amplo do que a portuguesa, que se refere apenas à questão militar”. Explica o general: “Eu adotei a terminologia francesa, transferia-a para a nossa lei e, como resultado, essa confusão mantém-se e, por isso, me sinto de certa maneira culpado. Foi um erro”. Acrescenta Luísa Meireles: “Confessa que, na altura em que começara a colaborar na elaboração da lei e não tinha [sido] ainda nomeado vice-CEMGFA, nem se tinha apercebido suficientemente da doutrina NATO que postula a ‘national security’”» («Quem pediu a pena de morte no dia 11 de março de 1975?», Anabela Natário, Expresso Diário, 25.06.2018).

 

[Texto 9497]

Helder Guégués às 20:43 | comentar | favorito
Etiquetas: