«Derivado de/devido a»

A enfermeira ou o médico?

 

      «A enfermeira anunciou-lhe que derivado à esponja esburacada a barriga cresce e ele a esmurrar o tórax, vitorioso

      — Ainda está lisinha» (Quinto Livro de Crónicas, António Lobo Antunes. Alfragide: Publicações D. Quixote, 2013, p. 195).

      Bem, ele conheceu mais enfermeiras do que nós, saberá que é assim que falam. Mas... assalta-nos, insidiosa, uma dúvida: e se a confusão é do autor, sancionada pelo revisor filológico? Pois é... 

 

[Texto 5697]

Helder Guégués às 17:40 | comentar | favorito | partilhar