E a metafonia?

Os destroços da pronúncia

 

      José Manuel Rosendo é o enviado especial da Antena 1 à Síria. Nos noticiários de hoje: «O percurso ao longo do Curdistão Sírio é através de uma estrada muito maltratada preenchida por postos de controlo das várias milícias e também da Polícia curda, postos de controlo improvisados com destroços de guerra colocados na estrada para obrigarem os carros a parar.» Nos três casos, saiu assim: «pôstos», «pôstos», «destrôços». Será convicção.

      Eu é que podia ser mudo, não falo com quase ninguém. Um repórter tem de saber falar. Se escrevermos e falarmos como nos der na telha, não nos vamos entender. «Postos» e «destroços» são plurais metafónicos, José Manuel Rosendo. Algumas palavras, quando são pluralizadas, além de receberem a respectiva desinência, mudam o timbre da vogal tónica, que passa de fechada a aberta. É o caso destes dois: «póstos» e «destróços».

 

[Texto 6364]

Helder Guégués às 15:19 | comentar | favorito
Etiquetas: ,