É o esquisito «CoCo»

Não é o fruto do coqueiro

 

      «Depois, acabou por lançar um dado novo para cima da mesa: O Banco de Portugal não deu a necessária luz verde para o Banif devolver os últimos 125 milhões que o banco ainda devia de capital contingente (os chamados Cocos) porque isso iria debilitar o balanço do banco» («Carlos Costa diz que Governo desencadeou resolução do Banif», Cristina Ferreira com Luís Vilallobos, Público, 30.01.2016, p. 7).

      Coco, cocó, CoCo — qual dos três é que acham que se adequa? É o último, e vem do inglês contingent convertible bonds. Está definido no Dicionário da Língua Portuguesa da Porto Editora: «ECONOMIA instrumento financeiro emitido por uma instituição de crédito e em que uma obrigação é convertida automaticamente em acção, quando se verifica uma situação previamente definida contratualmente.» Claro que de português isto não tem nada, pois não temos abreviaturas assim.

 

[Texto 6582]

Helder Guégués às 16:03 | comentar | favorito
Etiquetas: