«Eh pá», isso sim

Fica em má companhia

 

   «Durante meses, usou uma ortótese da cintura ao queixo. Parecia a pintora Frida Kahlo. Um dia, fartou-se de tanto desconforto: tirou aquilo. “É pá, não preciso assim tanto de andar com a coluna tão direitinha! Prefiro ficar um bocado marreco e sentir-me um bocado bem no dia-a-dia.”» («“Um tipo todo torto que insiste em ter uma vida normal”», Ana Cristina Pereira, «2»/Público, 26.10.2014, p. 22).

    Não é assim, Ana Cristina Pereira. Há uns anos, foram — lembram-se? — os Fedorentos, ou alguém por eles, num daqueles anúncios que nunca têm graça (sim, falo por mim — como sempre), que escreveram desta maneira, ou talvez ainda pior. Mas não: escreve-se «eh pá».

 

[Texto 5187]

Helder Guégués às 21:58 | comentar | favorito
Etiquetas: