Escrever e depois... rever

Tempo de aprender

 

      «Estas estendem-se por todo o lado. E além de impossíveis de recolher e eliminar, são muito mais perigosas» («Uma gigantesca “sopa” feita com 270 mil toneladas de plástico», Pedro Sousa Tavares, Diário de Notícias, 12.12.2014, p. 24).

   Recordo um excerto de um comentário de Montexto: «Porque “possível” e “impossível” não se empregam desta maneira, excepto na variante do português qual hoje o vês dos maluquinhos da língua e afins.»

 

[Texto 5366]

Helder Guégués às 21:12 | comentar | favorito | partilhar
Etiquetas: ,