Escrever sem erros

É difícil, pois

 

      «Até 2013, a leitura e apreensão do sentido global do texto tiveram resultados “bastante satisfatórios” [nos testes intermédios no 2.º ciclo]. Mas em 2014 foi diferente – apenas 42% das respostas tiveram o “nível máximo de desempenho”, resultados que podem ser explicados por ter sido introduzida a análise de um texto poético.

      Mas é na gramática e na escrita que estão as “maiores dificuldades”. Na gramática, os acentos são um dos problemas. Em 2014, apenas 35% das crianças acentuaram correctamente as seis palavras pedidas. No ano anterior, o resultado também tinha sido “insatisfatório” – 25%. Os miúdos têm ainda dificuldade na identificação de rimas - 43% de respostas certas.

      Na parte escrita, embora haja “uma ligeira melhoria” em relação a 2013, os resultados mantêm-se “insatisfatórios” – apenas 42% tiveram o “nível máximo de desempenho”, quando lhes foi pedido para fazerem um texto com a estruturação das diferentes partes. Escrevê-lo com correcção ortográfica, só 28%. Ainda em 2014, só 39% dos textos eram coerentes e só 38% com “vocabulário adequado”» («Escrever sem erros, com coerência, acentuar e contar dinheiro é difícil para miúdos», Maria João Lopes, Público, 14.01.2015, p. 9).

 

[Texto 5447]

Helder Guégués às 09:14 | comentar | favorito
Etiquetas: ,