«Esquerda caviar»

A esquerda luxuosa

 

      «Negar esta possibilidade é acentuar a bipolarização liderada por uma “classe dominante”, que tem ou teve os seus filhos a estudar em escolas privadas. Chamam-lhe gauche caviar na França, champagne socialist no Reino Unido, limousine liberal nos Estados Unidos, radical chic em Itália, esquerda caviar em Portugal. Fazem-no com a convicção de que um aluno, quando sai do ensino obrigatório, leva consigo pelo menos quatro legislaturas e que, neste espaço, “é preciso que alguma coisa mude, para que tudo fique na mesma”. Reafirmo esta convicção ao relembrar a filosofia de Dom Fabrizio Salina (em O Leopardo), que conduz a sua família através de tempos tempestuosos, mantendo o essencial da sua forma de vida» («Elogios à escola pública e filhos na escola privada», Paulo Simões Lopes, Público, 24.02.2016, p. 47).

      A questão, aqui para nós, é se a expressão merece ser dicionarizada — como acontece com as expressões equivalentes nas outras línguas. Creio que sim, pela frequência com que é usada e para que o falante saiba exactamente do que se trata.

 

[Texto 6643]

Helder Guégués às 09:52 | comentar | favorito | partilhar
Etiquetas: ,