«Ex-», uso e abuso

Pensem

 

   «Quantas vidas tem o (ex-)líder do Estado Islâmico?» (Carolina Branco, Observador, 11.07.2017, 21h34). O uso que muitos jornalistas fazem do prefixo ex- é de morrer a rir. Estes podiam estudar melhor a língua, já que não têm de estudar dossiês (de novo a tal que «tem resistido ao aportuguesamento»!). Suponha-se (já bati três vezes na madeira da secretária, fiquem descansados, e ainda vou ler no Dicionário de Superstições de Orlando Neves que mais posso fazer) que o Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, no regresso da visita de Estado ao México morria num acidente de aviação. Nesse caso, os jornalistas também escreveriam «morreu o ex-Presidente da República»? Vá lá, raciocinem um pouco.

 

[Texto 8011]

Helder Guégués às 08:14 | comentar | favorito
Etiquetas: ,