Excesso de palavras

Corte, vá cortando

 

   «Considerando que o ambiente político se tem aprofundado em “crispações várias”, o Presidente tem que [sic] ter a “capacidade, vontade e preocupação” de procurar canalizar as energias de todos na construção de um país melhor — e aproveitou para auto-elogiar a sua capacidade de “construir pontes entre pessoas com posições em confronto”» («Maria de Belém critica Presidentes intrometidos», Maria Lopes, Público, 15.12.2015, p. 5).

    Pois, mas elogio em boca própria é vitupério, ou não? E, Maria Lopes, para quê o auto-, tem medo de ficar apeada? «Aproveitou para elogiar a sua [própria] capacidade». E para quê «presidentes» com letra grelada?

 

[Texto 6481]

Helder Guégués às 14:06 | comentar | favorito
Etiquetas: ,