«Exéquias fúnebres»?

Não havia necessidade

 

      «Segundo a Câmara de Espinho, ainda não há informação quanto às exéquias fúnebres em honra do arquiteto, dada a maior complexidade dos trâmites a cumprir pelo facto de o seu falecimento se ter verificado em Espanha» («Arquiteto Rui Lacerda morre durante peregrinação a Santiago», Rádio Renascença, 7.09.2018, 10h43).

      O jornalista conhece exéquias que não sejam fúnebres? Em latim, exsequiae, exsequiārum já significa «honras fúnebres». É um pleonasmo, não um erro de cair para o lado. Seja como for, para quê usar mais palavras se podemos usar menos?

 

[Texto 9877]

Helder Guégués às 15:52 | comentar | favorito
Etiquetas: ,