Interface cérebro-máquina

Cérebros pirateados

 

      A propósito de apartamentos luxuosos: os leitores já estão mais preparados, graças também ao Dicionário da Língua Portuguesa da Porto Editora, que acolhe a locução dação em cumprimento, para compreender as últimas notícias sobre Sócrates. Tem agora de os ajudar em relação a esta: «Já ouviu falar de interfaces cérebro-máquina? Se não ouviu, fique a saber que este tipo de engenho, que pode ser usado dentro ou fora do seu corpo, é já hoje a solução para muitos problemas de saúde, como situações relacionadas com a doença de Parkinson ou deficiências motoras graves. Nesta matéria, o futuro já começou: eles são uma realidade em grande expansão que em breve terá tantas outras aplicações quantas permitam a ciência, a imaginação e o mercado. Mas, como em tudo, existem riscos associados — e não são pequenos. Se não forem rodeados de muitos cuidados, eles podem “roubar” informação do seu cérebro e manipular os seus comportamentos» («E se o seu cérebro for pirateado para o tornar um corrupto?», Leonete Botelho, Público, 4.12.2018, p. 12). Em inglês é brain-computer interface (BCI). Optemos pelo português: interface cérebro-máquina (ICM).

 

            [Texto 10 400]

Helder Guégués às 12:01 | comentar | favorito | partilhar
Etiquetas: ,