Léxico: «administração»

Como que encomendado

 

      «Desde então passaram-se 58 anos, e o Brasil teve 17 presidentes da República, contando os ditadores militares, os vices que assumiram o cargo e, duas vezes cada um, Fernando Henrique Cardoso, Lula e Dilma Rousseff. Não é pouco – 17 administrações. E nenhuma delas, nesses 58 anos, jamais pôs os pés no Museu Nacional» («À mercê de uma faísca», Ruy Castro, Diário de Notícias, 9.09.2018, 6h29).

      Até parece que encomendei o parágrafo a Ruy Castro. (Entretanto, ninguém me disse como traduzir paragraphist.) Muito recentemente, pôs-se a questão de como traduzir administration referido ao Governo inglês. Habitualmente, só usamos o termo «administração» em relação aos EUA. Ou, como se exemplifica acima, ao Brasil. Não será preciso irmos caso a caso para generalizar: aplicar-se-á a qualquer sistema de governo presidencialista. É assim? «You can refer», lê-se no Collins, «to a country’s government as the administration; used especially in the United States.» E administração no Aulete: «P. ext. O tempo de gestão de um administrador: durante a administração de Juscelino Kubitschek». No Dicionário da Língua Portuguesa da Porto Editora, é muito mais nebuloso: «gestão de negócios públicos ou privados; governo». Eu pelo menos ninguém ouvi falar na administração de Passos Coelho ou na administração de Mário Soares.

 

[Texto 9895] 

Helder Guégués às 21:36 | comentar | favorito | partilhar
Etiquetas: ,