Léxico: «afrodescendente»

Está muito mal

 

      «O deputado do CDS Hélder Amaral diz que foi alvo de atitudes racistas, em 2007, no Parlamento Europeu. O único deputado afrodescendente com assento parlamentar revela que, primeiro, “acharam que era empregado de mesa” e que, posteriormente, “e depois de várias vezes terem pedido para confirmar se era mesmo deputado”, não o queriam deixar falar sem antes lerem os seus discursos» («Hélder Amaral sofreu racismo no Parlamento Europeu. “Acharam que era empregado de mesa”», Marina Pimentel, Rádio Renascença, 20.07.2019).

      Impressionante, não está no Dicionário da Língua Portuguesa da Porto Editora. Infelizmente, está lá mal grafado «luso-descendente». É lusodescendente como é afrodescendente, porque não estão em causa duas etnias. E, vamos lá ver, se escrevem «luso-descendente», como é que grafam «eurocomunista»? Percebem? Eu não. Pelo menos eles sabem escrever: Djass – Associação de Afrodescendentes.

 

[Texto 11 821]

Helder Guégués às 06:42 | favorito
Etiquetas: ,