Léxico: «alburno/ablete/ictiofauna»

Não há desculpa

 

      «Composto por 16 tanques com 20 espécies autóctones dos rios Tejo e Zêzere, o Fluviário & Centro Interativo Foz do Zêzere abriu sábado ao público. Instalado no Centro Náutico de Constância, as espécies autóctones estão representadas pelo barbo, boga ou escalos. Quanto a espécies invasoras há carpas, alburnos ou pimpões» («Desfrutar dos rios», Paulo Fonte et al., «Sexta»/Correio da Manhã, 29.03-4.04.2019, p. 31).

      Confessa, Porto Editora, quanto à ictiofauna dulçaquícola, estás um pouco desactualizada, não é? Não conheces, por exemplo, o alburno ou ablete (Alburnus alburnus), espécie originária da Europa que foi introduzida em Espanha na década de 1990. Aliás, tu nem sequer conheces o termo ictiofauna, tarrenego!

 

[Texto 11 122]

Helder Guégués às 20:56 | comentar | favorito
Etiquetas: ,