Léxico: «alfa-sinucleína»

Nem rasto

 

 

    «Uma equipa internacional de cientistas, liderada pelo português Tiago Fleming Outeiro, constatou que duas proteínas, associadas à doença de Parkinson, interagem e reagem a mutações genéticas, uma “chave” que pode abrir portas a possíveis tratamentos contra a patologia. As proteínas em questão são a DJ-1 e a alfa-sinucleína. Sabe-se que alterações nos genes que codificam estas proteínas estão na origem de formas familiares da doença» («Avanço no tratamento de Parkinson», Diário de Notícias, 4.08.2014, p. 23).

   Alfa-sinucleína. Nos dicionários, nem rasto. É uma proteína nuclear com 140 aminoácidos e massa molecular de 14 kDa, presente nos terminais pré-sinápticos e na mitocôndria.

 

[Texto 4900]

Helder Guégués às 09:59 | comentar | favorito
Etiquetas: