Léxico: «animal de companhia»

Não é só a lei

 

      «A AHRESP [Associação da Hotelaria, Restauração e Similares de Portugal] critica o facto de a lei não ser clara em vários aspetos, nomeadamente quanto ao conceito de “animal de companhia” (que espécies são incluídas nesta definição), ao número de animais permitidos, em simultâneo, num estabelecimento, e à necessidade de os animais usarem uma trela curta ou estarem devidamente acondicionados, assim como a possibilidade de poder ser recusado o acesso aos animais que, pelas suas características, comportamento ou eventual doença ou falta de higiene, perturbem o restaurante» («A partir de 2.ª feira, pode levar o seu cão a tomar café. Mas lei não é clara...», Rui Silva e Rita Carvalho Pereira, TSF, 22.06.2018, 18h29).

    À pressa, já se vê que não podia sair bem, ainda que fosse imediatamente óbvio que seria das primeiras dificuldades na aplicação da lei. Grandes legisladores temos nós. Curiosamente, o Dicionário da Língua Portuguesa da Porto Editora não regista a expressão animal de companhia.

 

[Texto 9482]

Helder Guégués às 18:46 | favorito
Etiquetas: ,