Léxico: «bigle»

E não é a primeira vez que o digo

 

 

      «– Não pude ver. O caminho curva à direita quase logo a seguir. Levava um dos beagles pela trela. E uma carta na mão» (Morte na Aldeia, Caroline Graham. Tradução de Mário Dias Correia. Alfragide: Asa II, 2013, p. 123).

   Está assim em toda a tradução. Viva a coerência! Contudo, há muito que a palavra está aportuguesada: bigle. «Havia dois anos ou mais que aquele cão fazia parte da tua vida, e tu gostavas muito dele – um bigle jovem e cheio de energia, com um grande apetite pela aventura e a mania de correr atrás dos carros» (Diário de Inverno, Paul Auster. Tradução de Francisco Agarez. Alfragide: Asa II, 2012, p. 34).

 

  [Texto 3890]

Helder Guégués às 10:04 | favorito
Etiquetas: