Léxico: «butelo | palaio | paiola | catalão»

Ouçam os especialistas

 

      «Seja como for, manda a tradição brigantina que se coma o butelo (o estômago ou a bexiga do bicho, recheado de carnes, ossinhos — os do espinhaço, de suã, além de costelinhas — e cartilagens) com casulas, ou seja, a vagem seca e inteira do feijão, que é preciso demolhar antes de cozer, como se de feijão se tratasse. [...] Na Taberna do Carró, em Moncorvo, o palaio, ou butelo (reparem como se inverte a designação) é cozido em água e louro e pode ser desmanchado sobre um arrozinho de feijão branco, maravilhoso: o momento em que o enchido se desmonta sobre o arroz é uma espécie de revelação» («O butelo, ou a contemplação», Francisco José Viegas, «Sexta»/Correio da Manhã, 24-30.01.2020, p. 45).

      Esta definição de butelo devia servir para enriquecer, ou mesmo corrigir, a que vemos no dicionário da Porto Editora: «enchido transmontano feito com os ossos e as cartilagens das costelas e das vértebras do porco, geralmente misturados com sal, alho e louro; bulho». Também a simples remissão, naquele dicionário, de palaio para paio tem de ser corrigida. Não é o mesmo. E onde está a paiola, onde? E o catalão?

 

[Texto 12 827] 

Helder Guégués às 09:15 | comentar | favorito
Etiquetas: ,