Léxico: «camandro»

Gíria, pois

 

      «Expliquei-lhe que ele gostava do país e eu o amava: caso houvesse uma broncalina do camandro, ele punha-se ao fresco e eu, se preciso fosse, ficava e morria» («Europa não. Portugal, nunca!», José Cutileiro, TSF, 2.01.2019, 16h01).

      Cum camandro, então o dicionário da Porto Editora não regista camandro?! Não, «broncalina» não me diz nada, será invenção do autor dos Bilhetes de Colares.

 

[Texto 10 527]

Helder Guégués às 19:29 | comentar | favorito
Etiquetas: ,