Léxico: «caimba/sub-barbela»

O génio do mal

 

      «— É — respondeu, — o cavalo que melhor galopa; tem cinco pés de altura e a perna pequena; possui uma cauda de três pés e meio de comprido; as caimbas do freio são de ouro de vinte e três quilates; as ferraduras de prata» (A Princesa da Babilónia, Voltaire. Tradução de José Carlos Marinho. Lisboa: Editorial Inquérito, 1946, p. 148).

      Então não é assim? O freio compõe-se de bocal, argolas, caimbas ou cambas, barbela e sub-barbela. Ora, os nossos dicionários só admitem a variante camba. Pior: nenhum acolhe sub-barbela. Parece que um génio do mal — e inimigo da variedade — andou a expungir afanosamente as palavras dos dicionários.

 

[Texto 10 999]

Helder Guégués às 19:34 | favorito
Etiquetas: ,