Léxico: «capão | homeotrópico»

Não são galináceos

 

    «O assunto da viciação de resultados por causa das apostas desportivas volta a dar que falar em Portugal. Esta quarta-feira o Freamunde da II Liga vê-se envolvido numa história que já obrigou o clube dos Capões a emitir um comunicado, como confirmou o presidente Miguel Pacheco» («Miguel Pacheco afasta Freamunde de apostas fantasmas», Mário Aleixo, RTP, 6.08.2014, 12h52).

      Capões são a equipa de futebol do Sport Clube de Freamunde, mas o dicionário da Porto Editora no capão só vê o «galo ou cavalo castrado». Pouco e mal, pois não é um galo qualquer: é o galo que foi castrado entre o terceiro e o quarto mês de vida e que passou os restantes meses do ano ao ar livre a comer só produtos naturais. (Capão, galo castrado, e capão, mato no Brasil, são nomes homeotrópicos — adjectivo que a Porto Editora também não acolhe —, isto é, provêm de dois étimos diferentes em correspondência com as suas significações também diferentes.)

 

[Texto 12 235]

Helder Guégués às 09:00 | comentar | favorito
Etiquetas: ,