Léxico: «capotamento»

Esmiucemos a questão

 

      «O autocarro em que seguiam, além do motorista, 48 passageiros, a maioria dos quais jovens entre os 18 e os 23 anos da Covilhã e de Belmonte que regressavam de uma viagem de finalistas a Espanha, despistou-se hoje, às 17:56, no nó de Arez e da Barragem do Fratel do IP2, fazendo um capotamento lateral» («Marcelo “desolado” com acidente em Nisa», Rádio Renascença, 8.04.2018, 22h20).

      Sim, é verdade que capotamento não está no Dicionário da Língua Portuguesa da Porto Editora, mas não estou aqui apenas por isso. Fará sentido dizer «capotamento lateral»? Aquele dicionário, e talvez todos, diz que capotar é «(avião, automóvel) voltar-se com o lado de baixo para cima». Sendo assim, podia entender-se como uma forma de designar uma realidade semelhante: o veículo não ficava com o lado de baixo para cima, mas assente num dos lados, tombado. Como o conceito é semelhante, optava-se por acrescentar somente o termo «lateral». Contudo, se consultarmos o Dicionário Técnico Português-Inglês de Mauri Adriano Panitz (Porto Alegre: EDIPUCRS, 2003, p. 60), lemos: «Capotamentocapsizing, rollover, overturnning [sic]; capotagem; ocorre quando o veículo em movimento gira em qualquer sentido, ficando com as rodas para cima, mesmo que momentaneamente, ocupando depois a posição lateral ou de tombamento.» Sendo assim, querem dizer que as rodas nunca ficaram para cima, mesmo que momentaneamente? Tudo visto, impõe-se uma pergunta: porque não usar os termos capotar/capotamento e tombar/tombamento consoante fosse uma ou outra situação? Ah, sim, dizem bem: o dicionário da Porto Editora também não regista tombamento.

 

[Texto 9021]

Helder Guégués às 10:19 | comentar | favorito
Etiquetas: ,