Léxico: «caralho»

Então é isso

 

      «Na semana a seguir ao anúncio, Óscar Gonçalves, 42 anos, nem conseguia entrar na cozinha. “Uma pessoa fica assustada com o peso da responsabilidade”, diz o chef do G Pousada, restaurante de Bragança que ganhou em novembro de 2018 a primeira estrela Michelin para Trás-os-Montes. “Fartei-me de trabalhar para chegar aqui, sim, não vou mentir e dizer que não era isto que queria. Mas depois, quando aconteceu, fiquei paralisado. Ganhar é muito fixe”, diz com o sotaque e a convicção do Nordeste, “manter é que é o caralho”» («“Ganhar uma estrela Michelin é muito fixe. Mantê-la é que é o caralho”», Ricardo J. Rodrigues, Diário de Notícias, 9.03.2019, 6h20).

      Este caralho, que anda aí gostosamente na boca de toda a gente, está arredio dos dicionários. Vá agora um caralho um pouco diferente, e, o que é mais, literário: «“Este cabrão partiu-me o caralho do braço!”, exclamava o homem de nome Mike» (O Gerente da Noite, John Le Carré. Tradução de Sara Seruya. Alfragide: Edições Dom Quixote, 2016, p. 196).

 

[Texto 11 002]

Helder Guégués às 14:46 | comentar | favorito
Etiquetas: ,