Léxico: «cardenha»

Não são todas iguais

 

      «A fundação das cardenhas terá ocorrido no século IX, embora não haja certezas quanto à época em que começaram a surgir no alto das serras estes pequenos e toscos abrigos de pastores — com um primeiro andar para habitação e o rés-do-chão para albergar os animais — e onde só falta a porta redonda de madeira para imaginarmos de lá sair Frodo ou o tio Bilbo Baggins e o seu poderoso anel» («A paradisíaca aldeia portuguesa onde apenas vive uma pessoa», Vortex Magazine, 1.04.2018).

      A aldeia é Val de Poldros, Monção. Para começar, esta forma apocopada de «vale» devia estar em todos os dicionários. Cardenha, cardenho, cardanha — estão todos no Dicionário da Língua Portuguesa da Porto Editora e noutros dicionários. A definição é que difere. Lê-se no dicionário da Porto Editora: «regionalismo casa térrea onde os jornaleiros dormem; cardenho». Para jornaleiros, para pastores, para trabalhadores serranos que nos tempos vinhateiros desciam do lado da Estrela para vender o seu trabalho. Casa térrea ou primeiro andar para habitação e o rés-do-chão para albergar os animais. Em suma, há-de haver elementos em comum, como tratar-se de uma edificação tosca, pequena, de pedra, e destinada a trabalhadores.

 

[Texto 8999]

Helder Guégués às 14:16 | favorito