Léxico: «cardiotorácico»

Cinquenta anos depois

 

      «Foi em 4 de abril de 1969 que o cirurgião cardiotorácico norte-americano Denton Cooley colocou o primeiro coração artificial num doente — Haskell Karp, de 47 anos — como uma medida temporária até receber um coração de um dador» («Coração artificial começou ‘a bater’ há 50 anos numa intervenção com requintes novelescos», TSF, 3.04.2019, 11h45).

      Cinquenta anos depois, há por aí dicionários e vocabulários que não registam o adjectivo cardiotorácico, não é verdade? De «cardiotónico» saltam logo, precipitados, para «cardiotóxico».

 

[Texto 11 106]

Helder Guégués às 13:03 | favorito
Etiquetas: ,