Léxico: «Caripunas/caripuna»

Povo de maus costumes, diz ele

 

      «Pelo menos 110 indígenas foram mortos de forma violenta no Brasil no ano passado, informa um relatório do Conselho Indigenista Missionário (Cimi), uma organização ligada à Igreja católica que trabalha na defesa dos direitos indígenas. [...] “Quase extintos na época dos primeiros contactos com a sociedade não indígena, nos anos de 1970, os Karipuna não podem caminhar livremente pelo seu território, homologado em 1998. Além do aprofundamento da invasão da terra indígena Karipuna desde 2015 para o roubo de madeira, a ‘grilagem’ [ações de falsificação de documentos para, ilegalmente, ser tomada a posse de terras], e o loteamento são outros crimes que vêm sendo, insistentemente, denunciados”, diz o Cimi» («Mais de 100 índios assassinados no Brasil no último ano», TSF, 28.09.2018, 10h13).

      Coitados dos jornalistas. Não: Caripunas (que o Dicionário da Língua Portuguesa da Porto Editora ignora), que são um povo indígena sul-americano, diz-nos Xavier Fernandes (Topónimos e Gentílicos, vol. 1. Porto: Editora Educação Nacional, 1941, p. 266. Na capa, a divisa latina adoptada pela Academia das Ciências de Lisboa, Nisi utile est quod facimus, stulta est gloria, que é um verso de uma das fábulas de Fedro).

 

[Texto 10 016]

Helder Guégués às 11:20 | favorito
Etiquetas: ,