Léxico: «caxineiro»

Saibamos esperar

 

      «Até que o moderador, que é o João Morales: “Julgo saber, João Rios [o poeta chama-se João Rios], que tu estiveste há não muito tempo nos Açores. Como é o mar dos Açores para um caxineiro? É o mesmo mar?” [...] O mesmo mar redentor e irado das Caxinas, que nos sustenta e leva tantos de nós – o mesmo mar, todo ele, e teria valido a pena (garante) percorrer aqueles mais de dois mil quilómetros por terra e ar mesmo que não houvesse sido possível ver mais nada senão esse mar que há tantas gerações mata a fome a caxineiros e açorianos, fazendo-se de vez em quando ressarcir com as vidas de mais três ou quatro deles» («As palavras do Regresso. Filhos do mar e da terra», Joel Neto, Diário de Notícias, 21.09.2018, 6h21).

      Ainda eu queria — empolgado como estava, ali perante aquele cenário grandioso, com as terras de Espanha lá ao fundo — que o Dicionário da Língua Portuguesa da Porto Editora registasse «escalhense»... Nem caxineiro, termo muito mais usado, acolhe. Desmancha-prazeres.

 

[Texto 9973]

Helder Guégués às 08:10 | favorito
Etiquetas: ,