Léxico: «chicla»

Não sei, não sou do Porto

 

      «Parece uma rosa-dos-ventos desenhada na calçada e atravessa-se no caminho quando calcorreamos a renovada Rua Fernandes Tomás. O cinzento do passeio, pintado aqui e ali com tampas de saneamento, é como que iluminado com a estrela branca, de pedra, desenhada à porta do número 925. Conceição Lima tem 83 anos e é a proprietária. [...] Conheceu o autor da obra há mais de 30 anos, conta que costumava oferecer-lhe um “chicla”. “É um rapaz que andava aqui a arranjar a rua, andaram aqui muito tempo e eu chamava-os para dar um chicla. Um chicla é um cálice de vinho do Porto, vinha um de cada vez mas sem o chefe. Uma ocasião o chefe apanhou-os e eu disse que isto de manhã não embebedava... Agora há pouco tempo passei perto do Prado Repouso e ouvi: “olha o chicla”, olhei e era um senhor que trabalhou aqui naquela altura» («A estrela da sorte que sobreviveu às obras na calçada no Porto», Rute Fonseca, TSF, 16.12.2019, 9h11).

 

[Texto 12 486]

Helder Guégués às 09:00 | favorito
Etiquetas: ,