Léxico: «ciclo», de novo

Ainda está incompleto

 

      «No 1.º ciclo mudam de curso. As licenciaturas e mestrados integrados, por sua vez, registam as menores taxas de desistência, de 9% e 3%, respetivamente. Nestes ciclos de estudos é maior a percentagem, isso sim, de alunos que optaram por mudar de curso: 10%, nas licenciaturas; e 12%, nos mestrados integrados. [...] Em queda está, também, a taxa de abandono nos mestrados, fixando-se nos 17%. No 2.º ciclo de estudos, salienta o presidente da A3ES, “não existem grandes diferenças por natureza de instituição e tipo de ensino”, com os “resultados a serem ligeiramente piores no caso dos politécnicos, em particular nos privados”» («Um em cada cinco doutorandos desiste após o primeiro ano», Joana Amorim, Jornal de Notícias, 6.07.2019, 15h09).

      O leitor Afonso Costa lembrou — como eu me lembrara ao escrever o texto — que também há ciclos (e também são três) no ensino superior, o que ainda não se vê no dicionário da Porto Editora.

 

[Texto 11 724]

Helder Guégués às 10:26 | favorito
Etiquetas: ,