Léxico: «classismo/classicismo»

O clássico confusionismo indígena

 

      «Confesso que, embora sendo contra o machismo, contra o racismo, contra a homofobia e contra os maus tratos a animais, o meu palato não consegue destrinçar certas subtilezas discriminatórias. Ele consegue, contudo, captar um outro tipo de discriminação, à qual sou bastante sensível, certamente por ter nascido no interior de Portugal e continuar a cultivar lastimáveis hábitos de matarruano: o classismo, ou classicismo (os dicionários admitem as duas formulações), que pode ser definido como a discriminação baseada na classe social» («As algemas de Armando Vara», João Miguel Tavares, Público, 12.02.2019, p. 48).

      Caro João Miguel Tavares, matarruano ou não, estou certo de que vai compreender este raciocínio: para nos referirmos à qualidade do que é clássico, podemos, de facto, usar indiferentemente classicismo ou classismo. Já para nos referirmos às diferenças entre classes sociais, só podemos usar classismo. É preciso saber ler (e também escolher o dicionário certo, sem complicações nem «formulações» demasiado subtis). Agora vamos ver se o Presidente da República não torce a orelha.

 

[Texto 10 774]

Helder Guégués às 11:09 | comentar | favorito
Etiquetas: ,