Léxico: «colectar»

Mais que isto

 

      «A Ribeira do Vascão é muito rica em termos de biodiversidade e ainda se conhece pouco sobre o insetos que ocupam a zona. Esta nova espécie foi descoberta por acaso. Ana costuma recolher insetos nos tempos livres. E foi por causa disso que a protosmia lusitanica foi descoberta. Só se conhece este exemplar recolhido pela bióloga. Agora, era preciso ir ao terreno e coletar outros exemplares para conhecer mais pela espécie. Mas falta o apoio à investigação. “Há três ou quatro pessoas que fazem isto, coletar insetos. Vamos fazendo com os nossos fundos e depois procuramos especialistas internacionais que nos ajudem a descrever as espécies. Mas não há um apoio institucional”, lamenta, “não se sabe nada sobre o estado de conservação destas espécies”» («Pequena, preta e laranja. Há uma nova espécie de abelha e foi descoberta em Portugal», Joana Carvalho Reis, TSF, 5.02.2019, 8h45).

      Joana Carvalho Reis, ora veja se é difícil: Protosmia lusitanica. Basta carregar em mais uma tecla. Dicionário da Porto Editora, não sejas ridículo: omites várias acepções de colectar, e nomeadamente esta aqui empregada, mais antiga. Dizes que significa «impor contribuição ou quota a; tributar» e nada mais. Os humanos foram primeiramente caçadores-(re)colectores, só depois é que vieram as finanças. «Mais que isto/ É Jesus Cristo, / Que não sabia nada de finanças/ Nem consta que tivesse biblioteca...»

 

[Texto 10 718]

Helder Guégués às 09:17 | favorito
Etiquetas: ,