Léxico: «couto mineiro»

Medievo

 

    «O arame farpado colocado 
por cima do portão de acesso ao abandonado couto mineiro está coberto de ferrugem, testemunha dos anos que passaram desde que o último carregamento de carvão deixou o Pejão, em Dezembro de 1994. António Pinto tinha 32 anos, cinco filhos pequenos e ficava desempregado. Mas o que perdeu, diz hoje, foi muito mais do que o ordenado ao fim do mês. Foi toda uma forma de vida, que só existia ali, depois de cruzar a entrada
da mina, depois de atravessar o primeiro túnel e dobrar a esquina que escondia, em definitivo, a luz do dia» («Noutra vida eu fui mineiro», Patrícia Carvalho, Público, 27.03.2016, p. 31).

     Couto mineiro é uma locução interessante, certamente, tem um certo sabor medieval, mas com o Decreto-Lei 88/90 passou a usar-se unicamente a designação de mina. Pelo menos fica-se a saber do que se trata.

 

[Texto 6710]

Helder Guégués às 15:53 | favorito
Etiquetas: ,