Léxico: «craniotomia»

Não é bem isso

 

      «O senador acabou por chegar ao hospital onde foi operado 45 minutos depois de ter sido alvejado. A cirurgia — uma craniotomia, que é uma abertura temporária do crânio — começou quase três horas depois do sucedido» («Nem com a medicina actual Robert F. Kennedy sobreviveria», Teresa Sofia Serafim, Público, 20.06.2018, p. 37).

      O Dicionário da Língua Portuguesa da Porto Editora diz-nos que craniotomia é a «operação para ressecção de uma zona do crânio, cefalotomia». Aqui, a palavra-chave é ressecção, que o dicionário da Porto Editora define como a «operação cirúrgica para extrair um órgão ou parte dele». A definição está errada: a craniotomia é a abertura temporária de um retalho do crânio para acesso ao cérebro. No caso de Robert F. Kennedy, por exemplo, a craniotomia foi realizada para extrair fragmentos de bala e de osso — não órgãos ou partes de órgãos.

 

[Texto 9456]

Helder Guégués às 08:30 | comentar | favorito