Léxico: «cunhete»

Armadas ou desastradas?

 

      «A Marinha está a investigar a queda de uma caixa com mil munições quando estava a ser transportada para a Escola de Fuzileiros, no Vale de Zebro, Barreiro, encontrada posteriormente por um automobilista que entregou à polícia. [...] “Um cunhete [caixa] de mil munições de 9 mm caiu da viatura de transporte. A equipa de transporte não se apercebeu da queda da caixa”, refere a Marinha em comunicado publicado na sua página da internet» («Viatura da Marinha deixa cair caixa de munições. Caso está a ser investigado», Rádio Renascença, 28.09.2018, 6h37).

      As nossas Forças Armadas estão com sérios problemas. Têm mãos de aranha, como diria o meu avô Manuel Maria. Ora bem, cunhete. Não está em todos os dicionários. Mais: é preciso dois para dar a definição mais correcta. É um «caixote de madeira ou de outro material para acondicionamento e transporte de munições e explosivos», lê-se no Dicionário da Língua Portuguesa da Porto Editora. «Caixa ou caixote de madeira com reforço interno de folha metálica para acondicionar e transportar munições de guerra», especifica ainda mais o Aulete. O artigo traz-nos ainda mais um termo, ou melhor, uma acepção de uso militar: «O caso ocorreu na quarta-feira durante o transporte das munições retraídas da última missão dos Fuzileiros na Lituânia, que chegaram a Portugal por via marítima e estavam a ser transportadas para a Escola de Fuzileiros, no Barreiro, distrito de Setúbal.» Descubram os leitores — têm de fazer qualquer coisinha, não é? — o que significa.

 

[Texto 10 013]

Helder Guégués às 08:39 | comentar | favorito