Léxico: «desomorfina»

A pior de todas

 

      «É coordenada por investigadores portugueses a única equipa que já desenvolveu métodos laboratoriais para analisar a “krokodil” e detectar a sua presença no sangue e na urina. Esta droga, altamente destrutiva, tem como principal componente psicoactivo o opióide semi-sintético desomorfina. Foi detectada há uma década na Rússia. […] Os efeitos aditivos [sic] e tóxicos da droga — conhecida por “krokodil” por causa da aparência escamosa e esverdeada que provoca na pele dos consumidores depois de administrada por via intravenosa — “são muito graves e imediatos após a primeira toma, como a descoloração da pele e o aparecimento de úlceras, necrose e flebites e, no limite, podem levar à amputação dos membros”» («Já há um método para analisar e detectar a perigosa “krokodil”», Susana Pinheiro, Público, 25.03.2017, p. 23).

      Inventada, sintetizada, em 1932, nos Estados Unidos, o nome deste derivado da morfina — e dez vezes mais potente do que a morfina — já está capaz de ir para os dicionários.

 

[Texto 7620]

Helder Guégués às 11:06 | comentar | favorito
Etiquetas: ,