Léxico: «entrada solene»

Talvez não seja má ideia

 

      «A entrada solene na Arquidiocese de Braga está marcada para dia 2 de setembro» («“Sinto-me chamado a estar com as pessoas”. Os desafios do novo arcebispo de Évora», Teresa Almeida, Rádio Renascença, 26.06.2018, 11h33). A entrada solene é na Arquidiocese de Évora, há aqui lapso, mas para o caso não interessa. Já aqui nos tínhamos ocupado da entrada solene. Vê-se então que não é muito raro encontrar-se na imprensa tal expressão, e os dicionários gerais da língua nada dizem. É como que a tomada de posse. «Com a entrada solene do bispo nos seus territórios encerrava-se um ciclo e abria-se um novo: o da governação do bispado. Esse não se analisará aqui. Em condições regulares, desde a declaração de uma sede vacante até à entrada solene do bispo na diocese, mediava cerca de meio ano a um ano para as dioceses do reino, e sempre mais de um ano para as outras» (Os Bispos de Portugal e do Império, 1495-1777, José Dias Paiva. Coimbra: Imprensa da Universidade de Coimbra, 2006, p. 110).

 

[Texto 9503]

Helder Guégués às 14:08 | favorito
Etiquetas: ,